Saudações tenebrosas...

Você ultrapassou o portal da realidade... Seja bem vindo(a) á um mundo onde os contos criam vida, mesmo quando falam de morte...

Sidney Leal

domingo, 29 de junho de 2014

'O Samba do Morto'

                    “Doce rosa, rosa de minha vida
Iluminares meu jardim mesmo na despedida, (2x bis)
se canto triste hoje,
é por que não te tenho,
te vejo de tão longe,
mas não finjo que a tenho
(2x bis)
Do meu buraco frio
Venho sempre te visitar
Feche seus olhos a noite
Escute ao longe o meu caminhar
São meus ossos ruidosos num triste sacolejar...”.
                                                                      Samba do Morto – Sidney Leal