Saudações tenebrosas...

Você ultrapassou o portal da realidade... Seja bem vindo(a) á um mundo onde os contos criam vida, mesmo quando falam de morte...

Sidney Leal

domingo, 21 de outubro de 2012

"Um belo lugar para se visitar"

"...Sr.Percival sorriu de um modo estranho, e em sua mente não existia mais confusão ou dúvida, se refez enxugando o rosto, ajeitando a gravata. O bater da porta de entrada da sala de seu chefe o fez sorrir, fez um esforço considerável para não gargalhar – esforço tamanho que foi notado por Jorge.
– Fico feliz que esteja refeito. – Quase não dava para enxergar em meio a quantidade de fumaça do charuto que fumava.
– Percival, meu velho! Por Deus! Quanto tempo nos conhecemos hein!? Fiz um balanço de sua carreira aqui na empresa, e generosamente decidi não demiti–lo – Percival não olhava diretamente para Jorge Rimonte, seu olhar se concentrava em um objeto brilhante pendurado na parede.
– Mas sabe como é uma empresa, preciso fazer economia e você está velho. Por Deus, tenho que otimizar... – As palavras do velho se perderam no silêncio da loucura, pois a mente de Percival a muito se esvaecia na linha tênue da realidade. Apenas quando aquela criatura pronunciava "Deus" os ouvidos de Percival latejavam. Lembrava–se de todos os processos, traições. Aquela criatura não poderia tocar no nome de Deus!
Dirigiu–se ao velho de mente doente, que ostentava na parede atrás de sua mesa uma grande cruz de prata, que, dizia ele, fora abençoada pelo próprio Papa. Percival então sorriu e ciente que tinha o dever cristão de propagar a palavra de Deus – sob os olhos assustados de seu chefe –, pegou a pesada cruz, cujos braços terminavam finos e brilhantes como se fossem lâminas... E cravou no peito de Jorge Rimonte!
E, sorrindo, tinha a certeza de que Deus havia agora lhe tocado o coração..."
Continua no livro: "13 Contos"